É sempre bom ir a uma festa, participar de momentos importantes, principalmente se soubermos do cardápio que será servido. Estamos vivendo a festa do Natal e, dentro desta festa, há uma outra: a da Sagrada Família, que, como uma moldura de um belo quadro, nos revela o mistério do Natal.

Deus não quis que o Menino Jesus nascesse de um laboratório nem de uma chocadeira, Deus quis para Ele uma mãe, um pai, uma família. E a liturgia de hoje nos dá, de bandeja, uma coisa que nós amamos: cuidar de quem nós amamos, cuidar de nosso pai, de nossa mãe, de nossa família. É fácil a sabermos qual o “peso” de amor que estamos dando à nossa família, é só ver como estamos cuidando dos mais novos e dos mais velhos.

Vamos, nesta homilia, falar do Quarto Mandamento da lei de Deus. A primeira leitura fala sobre o respeito do filho para com seus pais.“Quem respeita o seu pai, terá vida longa, e quem obedece ao pai é o consolo da sua mãe”.

Nenhum pecado dos pais nos dá o direito de os tratarmos como ”ex-pais”. Ainda que seu pai não tenha tido diploma, tenha cometido algum crime, seja o maior dos pecadores, isso não lhe dá o direito de ter vergonha dele, porque, por pior que seja um pai, ninguém pode fazer dele um “ex-pai”. A Palavra diz que, quem respeita o pai, independentemente da qualidade deste, terá vida longa.

“Meu filho, ampara o teu pai na velhice e não lhe causes desgosto enquanto ele vive”.
Esta palavra ”amparar” não significa ser uma muleta para seu pai e sua mãe, está falando sobre o acolhimento e o cuidado que você deve ter para com ele. Não adianta querer falar de acolhimento na paróquia se a pessoa não aprendeu isso em casa. Estas coisas não podem ser compradas! Dê sustento, dê apoio ao seu pai, ainda que ele esteja doente, ainda que esteja perdendo a lucidez. Se nós crescêssemos na qualidade do acolhimento dos filhos para com os pais os asilos estariam todos em crise. Mas também como é triste ver que os casados há mais tempo estão perdendo a qualidade do relacionamento dentro de casa, perdendo a sabedoria de ficar velhos! Por isso, muitos filhos dizem: “Vou ficar velho pra viver assim?”. Os velhos não estão sabendo ficar sábios, estão cada vez mais de roupinhas curtas, curtindo as baladas, querendo ser adolescentes, trocando a esposa por duas menininhas de 20 anos… Os filhos estão colocando os pais nos asilos porque muitos destes não educaram os filhos com respeito dentro de casa.

“[…] procura ser compreensivo para com ele; não o humilhes, em nenhum dos dias de sua vida: a caridade feita ao teu pai não será esquecida”.

Nada pode justificar a humilhação e o desrespeito de um filho a seus pais. A família é um laboratório; e se seu filho testemunhar, um dia, você humilhando os seus pais dentro de casa, provavelmente ele fará o mesmo quando você ficar velho. Existem pessoas que são uma beleza no trabalho e com os amigos, mas em casa descarregam o pior sobre o pai e a mãe. Toma vergonha na sua cara!

“Por isso, revesti-vos de sincera misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência, suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos mutuamente, se um tiver queixa contra o outro”. 

Algumas pessoas trouxeram um monte de roupas de várias cores para passar o Ano-Novo, vai até parecer uma escola de samba aqui, mas a leitura já nos dá uma lista de nossas vestes neste fim de ano: “Revesti-vos de misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência (Cl 3, 12). Quem dera se você se revestisse com essas vestas para passar o Ano-Novo!

Quer começar o Ano-Novo com uma família renovada? Veja que não estou falando de nova família, não é para você trocar de marido ou mulher, eu estou falando de conversão, de mudança de vida dentro de sua casa. Se você quer entrar o ano com uma família renovada é preciso que você perdoe, pois se não houver o perdão vai ficar tudo do mesmo jeito.

Que, em 2014, você não tenha o que deseja, mas o que você precisa! A Palavra diz o que você precisa: “Que a Palavra de Cristo, com toda a sua riqueza, habite em vós”.

Um pai tem que ter muito mais do que dinheiro no bolso, ele tem que ter Deus no coração! É isso que São José tinha, a riqueza da Palavra de Deus e a obediência incondicional a ela.

Se você quer ser feliz, volte a ser família. Não existe faculdade, mestrado ou doutorado que nos ensinem a ser pai, mãe e filhos. Quer aprender a ser família? Aprenda a pedir e dar perdão. Não importa com o que vai cobrir o seu corpo na passagem do ano, importa o que você vai trazer dentro do coração.

Comments are closed.