No discurso aos participantes, o papa Francisco ressaltou a importância da missão caritativa da Igreja

O Congresso Internacional sobre os 10 anos da Encíclica “Deus caritas est” reúne bispos, sacerdotes e leigos de diversas partes do mundo. O evento, organizado pelo Pontifício Conselho Cor Unum, iniciou na quinta-feira, 25, e se encerra hoje.

A atividade está inserida na programação do Jubileu da Misericórdia, com objetivo de examinar e aprofundar as perspectivas teológicas e pastorais da Encíclica “Deus caritas est”, escrita pelo papa Bento XVI, em 2005, e a relação do texto com os que exercem o serviço de caridade na Igreja.

Na manhã desta terça-feira, 26, o papa Francisco recebeu, em audiência, os participantes do Congresso Internacional. No discurso, falou da importância da Encíclica que permite percorrer uma história de caridade na Igreja.

“Esta caridade recebida e doada é o fulcro da história da Igreja e de cada um de nós. O ato de caridade, de fato, não é somente dar uma esmola para lavar-se a consciência, mas inclui uma atenção de amor dirigida ao outro”, disse Francisco.

Ao recordar os 10 anos da primeira Encíclica de Bento XVI, Francisco ressaltou dois aspectos do texto. O primeiro refere-se à verdadeira face de Deus e seu amor. “Devemos olhar para a caridade divina como a bússola que orienta a nossa vida antes de nos encaminhar para qualquer atividade: ali encontramos a direção, dela aprendemos como olhar os irmãos e o mundo”, destacou.

O segundo aspecto trata da caridade. “Como gostaria que cada atividade revelasse que Deus ama o homem. A missão caritativa da Igreja é importante, não só porque leva os homens a uma vida digna, mas porque faz com que cada pessoa se sinta concretamente amada por Deus”, acrescentou.

Presença da CNBB

Participam do encontro representantes de vários países das conferências episcopais e de organismos caritativos da Igreja. Representa o Brasil o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner. Em entrevista à Rádio Vaticano, dom Leonardo disse que a Encíclica “Deus caritas est” abriu perspectivas e ajudou a Igreja a se compreender melhor.

“Neste caso, não a Igreja como estrutura, mas um movimento de amor. Bento XVI nos ajuda a compreender que a caridade é um amor em movimento”, ressaltou.

Ainda, de acordo com dom Leonardo, o Ano Santo é oportunidade para identificar onde ser e agir com caridade, a partir das Obras de Misericórdia.  “A Encíclica faz essa relação entre o amor de Deus e a misericórdia. Ficamos admirados com as palavras do papa, aos percebemos que a caridade tem um agir gratuito”, pontou o bispo.

Acesso o texto completo da Encíclica “Deus caritas est”

CNBB com informações da Rádio Vaticano e L’Osservatore Romano.

Comments are closed.