Voluntários reunidos em Cracóvia, na Polônia / Foto: Rádio Vaticano

Voluntários reunidos em Cracóvia, na Polônia / Foto: Rádio Vaticano

Os preparativos na Polônia seguem a todo vapor para a realização da 31ª Jornada Mundial da Juventude, que de 26 a 31 de julho próximo será na Cracóvia. Mais de 500 mil jovens já se inscreveram e são esperados muito mais para o grande evento da juventude mundial.

“Nós nos preparamos para esta Jornada Mundial já há três anos. (…) Podemos dizer que estamos prontos, não estamos atrasados. Esperamos chegar bem preparados tecnicamente, mas também religiosamente, porque esta preparação espiritual para nós é muito importante. Em todas as paróquias, em todas as comunidades, existem grupos de jovem comprometidos com esta Jornada”, conta o arcebispo de Cracóvia, Cardeal Stanislaw Dziwisz.

 

A JMJ 2016 será realizada dentro do Ano da Misericórdia, instituído pelo Papa Francisco. O cardeal recorda que Cracóvia é centro da devoção da Misericórdia e o fato do evento acontecer em um ano jubilar dedicado à misericórdia é de peculiar importância.

“Por que é importante? Porque o Diário da Irmã Faustina diz que de Cracóvia se propagará para todo o mundo o fogo da Misericórdia. Esperemos que os jovens venham pegar o fogo da Divina Misericórdia para levá-lo ao mundo”.

Mas essa não será a primeira vez que um encontro internacional de jovens coincide com um Ano Jubilar. Segundo Dom Stanislaw, é preciso ver os sinais dos tempos. “Precisamente agora é necessária esta devoção, nestes tempos em que a paz está em perigo, existem conflitos e confusão no mundo e na Europa. O Diário de Irmã Faustina diz que o mundo não terá paz se não se voltar para a Divina Misericórdia”.

Sobre o legado dessa JMJ para a Cracóvia, o cardeal diz que os frutos dependem da preparação que está sendo feita para o evento. Se a preparação espiritual é boa, a Jornada dará muitos frutos, sobretudo de aprofundamento da fé.

“Posso dizer que esperamos os jovens de todo o mundo. Já se inscreveram 600-700 mil, de 150 países. Esperamos que serão ainda mais. Naturalmente, nos últimos dias muitos chegarão sem avisar-nos, vindos de países vizinhos, da Ucrânia, da Bielorrússia, também da Polônia. Convidamos para que venham muitos. Queremos preparar bem esta Jornada. Penso que a acolhida de Cracóvia será muito bela, porque não somente Cracóvia, mas toda a Polônia estará envolvida, sobretudo na semana precedente quando os jovens chegarem em todas as dioceses. Haverá encontros, conferências, catequese quando o Papa chegar em Cracóvia, todos virão aqui para saudá-lo”.

Comments are closed.